11 de janeiro de 2009

Sol de Inverno

Esta semana o frio chegou-se a Lisboa com unhas e dentes. Saí de casa um destes dias de manhã (atrasada como sempre), com os meus fones nas orelhas, pronta para enfrentar o dia. Estava sol e havia gelo nos passeios e pessoas a escorregar em poças de água quebradiças. Quando saí do autocarro e comecei a minha caminhada, começou a entrar-me esta música na cabeça. Embora o Tom Barman diga que o Verão chegou, o Inverno pareceu-me mais certo e mais belo a ouvi-lo cantar. E depois esta música é daquelas que me fazem estugar ainda mais o passo, cheia de vibrações boas a romper-me os músculos, metida num videoclip filmado de dentro para fora. Ainda por cima a música é banda sonora de um filme em que o mesmo senhor, o que me canta aos ouvidos, passa o tempo a filmar pessoas a andar de um lado para o outro na cidade. Entrei no filme e, para onde quer que o vento soprasse, senti-me terrivelmente feliz.


2 comentários:

Prestes disse...

Acho que o segredo é mesmo esse, fazer com que seja sempre verão independentemente das condições meteorológicas do momento e independentemente de para onde o vento sopra.

Depois se quiseres posso te emprestar o DVD do filme para o veres novamente ou se preferires podemos revê-lo juntos.

Ana disse...

Então e a curva sinusoidal? «Mais cedo ou mais tarde o Inverno há-de chegar, mas o Verão não deverá tardar em aparecer, pelo que o mais simples será estar preparado para os dois, sempre com a certeza que um não existe sem o outro». Os teus óculos de sol estão a ficar com a graduação desactualizada!